quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Bares que andei


Barroco Bar,
conversas de bloco,
roucas vozes,
loucas e simples almas.

Do falante ao calado,
único entre quatro e
a beleza da cerveja de litro,
vontade de fumo.

Psicofobia, chapéus, significado,
afrosemântica de axé, Candomblé,
raízes e sincretismo
desenhados de peito aberto.

Felicidades muitas, fluidez,
de onde diálogos atravessados e paralelos
certamente se fazem ritual,
segurança, sensibilidade.

Oficina de danças brasileiras,
arco e flecha, sem muito tempo,
com muito atabaque.
Mas, de onde vem?

Conexão, comunicação,
família de benzedeiras,
pista de dança giratória,
balada: flerte.


Nenhum comentário:

Postar um comentário